Sindicato recusa show de João Gomes no Maranhão por declaração contra Bolsonaro no Rock in Rio 

O cantor pernambucano João Gomes, que gravou seu DVD no Recife em agosto, foi impedido de fazer show na cidade de Imperatriz, no Maranhão. O motivo foi o vídeo gravado pelo artista no Rock in Rio, em que aparece puxando coro contra o presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com a Revista Veja, João teria pedido autorização de um sindicato rural da cidade para realizar show dentro da arena do Parque de Exposições Lourenço Vieira da Silva.

Os ruralistas negaram o pedido, sob a justificativa de que João “tratou mal o nosso presidente Jair Bolsonaro”. Em vídeo publicado nas redes sociais, diretores posicionados em frente ao Sindicato confirmam que negaram o pedido.

“Nós aqui da diretoria do Sindicato Rural temos a comunicar que fomos procurados para realizar show de Joao Gomes aqui dentro da nossa arena, o qual nós negamos, em virtude do comportamento dele em tratar mal a figura do nosso presidente Bolsonaro. Ele não é bem-vindo aqui dentro do Parque de Exposições”, diz um dos homens do vídeo.

“Nossa bandeira é verde e amarela”, finaliza outro homem que se diz diretor do Sindicato.

Entenda o caso

No dia 4 de agosto, João Gomes se juntou ao público do Rock in Rio puxou um grito contra o presidente. Filmando a si mesmo e ao público, o cantor iniciou a provocação gritando “Ei, Bolsonaro…“, à medida que os fãs continuaram o grito xingando Bolsonaro.

Dias depois, João Gomes pediu desculpas pela atitude, afirmando que foi irresponsável. Postado Waldiney Passos.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.