Lula e PT sairão totalmente desmoralizados em caso de derrota contra Bolsonaro

Por Diego Lagedo: 

Após três tentativas fracassadas de chegar à Presidência da República, Lula (PT) conseguiu se tornar presidente por dois mandatos e fazer a sua sucessora, Dilma Rousseff (PT). O crescimento mundial puxado pela China e uma forte campanha de marketing ajudaram Lula a criar uma imagem de invencibilidade no país.

Lula foi o primeiro político desde Vargas a alcançar a aura de “mito” na política brasileira, uma figura quase divinizada que estava em um patamar acima dos demais. Nem as diversas acusações de corrupção conseguiram destruir essa imagem, que era alimentada pela grande mídia.

Porém, o mundo mudou e as redes sociais deram voz e capacidade de organização a pessoas que antes não tinham como se expressar. Foi o começo do fim. A partir daí, uma grande parcela da população protestou contra o governo Dilma e a classe política em 2013. Já em 2015 e 2016, já com uma direita tomando as ruas, a população conseguiu forçar um impeachment da ex-presidente Dilma.

A aura mitológica de Lula acabou de vez em 2018, quando ele foi preso no âmbito da Operação Lava-jato e a direita conseguiu eleger o seu próprio “mito”, o atual presidente Jair Bolsonaro (PL). Mesmo com toda a oposição do mundo, principalmente da grande mídia militante, o governo Bolsonaro conseguiu ser um sucesso no campo econômico e chega na eleição de 2022 em condições de vitória.

Já há pesquisas que apontam que Bolsonaro pode vencer a eleição no primeiro turno, como é o caso da Brasmarket (BR-01527/2022). Desesperado para voltar ao poder, o PT colocou o seu maior líder em uma situação de risco e Lula sairá completamente desmoralizado caso perca a eleição para Bolsonaro. postado por Pernambuco em Pauta.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.