Pavão misterioso

Por Magno Martins, edição de Ítala Alves

Se há um grande mistério nesta fase de pré-campanha eleitoral no Brasil é a posição do presidente nacional do União Brasil, o deputado Luciano Bivar. Nem mesmo em Pernambuco, seu Estado, ele joga claro. Não dá um pitaco sobre a pré-candidatura de Miguel Coelho, filiado ao seu partido, ao Governo do Estado.

Não revela, também, o que quer para o seu futuro político. Não se sabe se disputa a reeleição para Câmara Federal, o que seria um caminho mais natural, ou se entra num projeto nacional, como uma candidatura própria à Presidência da República. Ontem, num vídeo pelas redes sociais, anunciou que o partido lançará uma chapa pura para a Presidência da República, mas ninguém acredita.

Disse que uma coligação com outros partidos não foi possível porque eles “não tiveram a mesma unidade que tem o União Brasil”. Em nota conjunta divulgada no começo de abril, os presidentes dos partidos MDB, União Brasil, PSDB e Cidadania afirmaram que o nome para uma candidatura única seria anunciado no próximo dia 18 de maio.

Mas, em 27 de abril, deixou vazar que o União Brasil poderia desembarcar da proposta e lançar uma chapa pura com ele na cabeça e o ex-ministro Sérgio Moro na vice. Depois da divulgação do vídeo de ontem, a assessoria do deputado informou que ainda não há uma definição sobre quem irá compor a chapa ou quando ela será anunciada. Postado por Magno Martins.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.