Miguel Coelho e Anderson Ferreira encontram caminho para derrotar o PSB em Pernambuco

Coluna do Diego Lagedo:

Em visita a Brasília, os prefeitos Anderson Ferreira (PL) e Miguel Coelho (MDB) se reuniram para debater sobre a eleição para o Governo de Pernambuco em 2022. O entendimento geral é de que é necessário que o bloco permaneça unido para que apresente um projeto de mudança para o estado na próxima eleição.

Os dois prefeitos, que estavam acompanhados do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) e dos deputados André Ferreira (PSC) e Fernando Filho (DEM), são os nomes mais cotados para disputar o Governo do Estado pela oposição e o ato mostrou que deve haver um entendimento entre eles até o pleito.

O grupo também debateu sobre estratégias para apresentar um projeto que atenda aos anseios do povo por mudança e que leve o bloco à vitória na próxima eleição. Para isso, os Coelho e os Ferreira contarão com as outras lideranças da oposição para atrair quadros da base do Governo descontentes com a gestão do PSB no estado.

No meio político, o sentimento geral é de que o ciclo do PSB já se encerrou em Pernambuco e que, atualmente, o estado está andando para trás, o que é evidenciado pelo péssimo desempenho econômico e pela atuação deficiente do Governo de Paulo Câmara no atendimento à população.

A soberba dos socialistas também vem causando descontentamentos na base, cada vez mais esquecida e sem espaços. O governador Paulo Câmara está dedicando seus esforços a inflar a gestão de João Campos para que sirva de vitrine na próxima eleição. Por conta disso, deixou de socorrer as cidades do interior, inclusive as geridas por prefeitos socialistas, o que tem gerado muitas reclamações na base governista.

Por último, um fator que vai favorecer muito a oposição é a investigação do Covidão do Recife na Justiça Federal, pois atinge diretamente a gestão do ex-prefeito Geraldo Júlio (PSB), que seria o nome natural dos socialistas para concorrer ao Governo. Esse fato já levou diversos deputados da base, como Sebastião Oliveira (Avante), a defenderem que Geraldo não concorra em 2022. Divididos quanto ao caminho a ser trilhado, os governistas chegam mais enfraquecidos na eleição.

Por conta de todos esses fatores, o número de descontentes dentro da base do Governo só tem aumentado, o que favorece uma debandada para o projeto da oposição, que tem grandes chances de chegar ao poder em 2022. Mas Anderson e Miguel sabem que o PSB não é um adversário a ser subestimado e que os socialistas estão dispostos a tudo para permanecer no poder. Fonte Pernambuco em pauta.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *