“Palhaço; hipócrita; vai levar cacete, pau; tá falando besteira, merda”; esse é o conteúdo de discursos de vereadores de Petrolina

Por Didi Galvão

A sessão ordinária da última terça-feira (30) da câmara de vereadores de Petrolina, teve como tema central o Projeto de Lei nº 0012 que trata da Lei de Diretrizes Orçamentarias (LDO). Por conta da forma como o Projeto tramitou até a votação, o vereador Gilmar Santos (PT) votou contra, ao tempo que manifestou sua discordância e provocou reação dos parlamentares que integram a base governista.

O presidente do parlamento municipal que deveria ter comportamento a altura do cargo, usou da palavra e como defensor do governo e não da imagem da casa, desrespeitou a imprensa local e regional. Isso porque em todas as sessões da câmara de vereadores de Petrolina, quem dá notoriedade aos trabalhos dos representantes do povo de Petrolina é a imprensa esquecida pelo presidente Aero Cruz.

Aero Cruz prefere ignorar a presença dos profissionais de rádios e dos blogs que todos os dias levam ao conhecimento da população o trabalho de cada vereador, quando em oportunidade de valorizar e falar cobre a importância da imprensa, menciona apenas a TV como se fosse à única da cidade a fazer cobertura dos trabalhos do legislativo municipal. Quando na verdade, só se faz presente em votações especiais.

Pela ausência de pulso e falta de liderança do presidente Aero Cruz, a sessão da câmara de vereadores de Petrolina da última terça-feira (30), beirou o ridículo e acima de tudo de desrespeito para com a população. A discussão sobre o Projeto de Lei nº 0012, levou vereadores a entrar no campo político. O debate político foi fervoroso, com vereadores chamando o colega de palhaço, hipócrita e de puxa saco de coronel.

O respeito de uma para com o outro eleva o debate de qualquer parlamento, mesmo que haja posicionamento de convergência e divergência. Quando o debate é levado para o campo do desrespeito, envergonha a sociedade, pois é ele seu legítimo representante. Por essa razão, é preciso que o presidente de um parlamento seja incondicionalmente imparcial. Dando exemplos e tendo comportamento condizente com a altura do cargo.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.