Cerco Começa A Se Fechar Para Barroso: Senador Pede Investigação Sobre Suposto Crime De Responsabilidade

Barroso: Nesta quarta-feira, dia 25 de maio segue forte os rumores sobre o pedido do senador Luis Carlos Heinze (PP-RS) junto à presidência do Senado para que abra um processo para investigar suposto crime de responsabilidade do ministro Luis Roberto Barroso, do STF.

Vale frisar que o requerimento foi protocolado na terça-feira (24/5) e o ponto principal cita uma declaração do ministro sobre possível interferência indevida das Forças Armadas em relação às eleições. Em resumo, Luiz Barroso criticou, durante palestra no dia 24 de abril, a tentativa de envolvimento das Forças Armadas na política. “As Forças Armadas estão sendo orientadas para atacar o processo [eleitoral] e tentar desacreditá-lo”, disparou o magistrado.

Senador Heinze dispara “Comportamento incompatível com dignidade do cargo” em referência a Barroso

O aliado do presidente Bolsonaro (PL), Senador Heinze entende que a declaração, “sem apresentar provas, caracteriza comportamento incompatível com a honra, dignidade e decoro do cargo que [Barroso] ocupa”. De acordo com o parlamentar, “a conduta do magistrado pode ser considerada atividade político-partidária, caracterizada como crime de responsabilidade previsto no art. 39 da lei 1079/50.”

Vale lembrar que desde a famigerada manifestação, Barroso tem sido alvo da fúria de Jair Bolsonaro e de seus aliados. Um dos exemplos mais recentes foi durante evento chamado realizado por uma gigantesca multidão de brasileiros chamada “Ato Cívico pela Liberdade de Expressão” O Presidente disse, em 27 de abril, que Barroso não faz o papel de um “democrata” e disparou que o ministro “mente”.

Confira: André Porciuncula Sobe O Tom Contra Rui Costa Governador Da Bahia “Figura Medíocre”

Por fim, agora caberá ao presidente do senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), dar ou não prosseguimento ao pedido do senador Heinze. Contudo, vale lembrar que Pacheco tem engavetado esse tipo de pedido, usando como argumento reduzir a fervura da crise institucional. Fonte Nwens Atual

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.