Rejeição a Paulo Câmara deve levar à derrota do PSB em Pernambuco

Coluna do Diego Lagedo: De todos os fatores que levaram ao desgaste do PSB de Pernambuco junto à população ao longo dos anos, a rejeição ao governador Paulo Câmara (PSB) deve ser o mais impactante na eleição desse ano. A forma autoritária como o governador conduziu o combate à Covid-19 ainda está fresca na memória dos pernambucanos e os pré-candidatos de oposição já estão criticando incessantemente a falta de desenvolvimento econômico no estado.

Uma pesquisa realizada pelo instituto Conectar (PE-03306/2022) mostrou que 63% dos pernambucanos rejeitam a gestão de Paulo Câmara. Ele só tem o apoio de outros 30% e 8% não souberam ou não quiseram responder a pesquisa. O índice de rejeição ao governador é altíssimo e deve impedir que a pré-campanha de Danilo Cabral (PSB) decole. Após o anúncio do nome do pré-candidato da Frente Popular, o nome de Danilo começou a aparecer nas pesquisas com aproximadamente 5% das intenções de voto e até agora não saiu desse patamar, o que já deve ter acendido o alerta vermelho no PSB.

Outros fatores também contribuem para a rejeição aos socialistas. Dentre os principais, devem se destacar os escândalos de corrupção na gestão de Geraldo Júlio (PSB) na Prefeitura do Recife, o abandono de diversas obras pelo Governo do Estado e a ausência constante do prefeito João Campos (PSB), que até se afastou da PCR para tirar férias e já perde aliados no meio político.

Tudo indica que haverá uma mudança de comando no Governo de Pernambuco e o PSB, que deveria entrar como favorito na disputa, chegará na eleição como uma zebra. Não seria uma grande surpresa se Danilo Cabral não conseguisse ir para o segundo turno nesse ano. Postado por Pernambuco em pauta.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.