Oposição se une para criticar crise de segurança pública em Pernambuco

Coluna do Diego Lagedo: Os pré-candidatos da oposição pernambucana criticaram, de maneira uníssona, a crise de segurança pública que Pernambuco está vivendo na gestão de Paulo Câmara (PSB). O movimento mostra algum nível de sincronização entre as pré-campanhas de Anderson Ferreira (PL), Miguel Coelho (UB) e Raquel Lyra (PSDB), tendo em vista que todos se manifestaram sobre o tema no mesmo dia.

Em entrevista a uma rádio, Anderson Ferreira defendeu o fim das faixas salariais para os policiais militares de Pernambuco e criticou a tentativa do PSB de esconder a crise de segurança pública: “É um absurdo que temas sensíveis como o da segurança pública e a este relacionados sigam sendo ignorados pelo governador Paulo Câmara, bem como tenhamos que assistir seu apadrinhado, o pré-candidato Danilo Cabral (PSB), sugerir que a escalada da violência fique de fora dos debates políticos. Essa mania do PSB de varrer para debaixo do tapete e empurrar com a barriga discussões importantes não gera resultado positivo algum para a sociedade”.

Já Miguel Coelho realizou uma live em suas redes sociais com o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE), Rafael Cavalcanti, para debater a crise da segurança pública em Pernambuco. As críticas feitas por Miguel à situação que o estado está passando já haviam sido precedidas pelas falas do seu irmão, Antonio Coelho (UB), que é líder da oposição na Alepe: “O governo Paulo Câmara tem perdido a mão na segurança pública. Essa postura vem contribuindo de forma contundente para a falta de segurança em Pernambuco e tem nos levado a situações delicadas como a vivida em Porto de Galinhas recentemente e também no município de Goiana, que está sofrendo com a violência crescente, tanto que registrou no mês passado o pior março dos últimos 14 anos”, disse Antônio. Postado Pernambuco em Pauta.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.