Expulsa da PM-BA, policial trans luta na Justiça para ser reintegrada

Demitida da Polícia Militar da Bahia depois de assumir que é uma mulher transexual, Jane Oliveira, de 39 anos, entrou na Justiça para ser reinserida à corporação.

De acordo com o jornal Correio, foram dois anos de espera por uma decisão favorável – que nunca veio. Em 6 de março de 2018, deixou a condição de soldado, acusada de promover ofensas “contra a dignidade e o decoro de um superior hierárquico”, mas Jane dá outro nome ao motivo da decisão: transfobia. Em 2019, a briga judicial para que ela fosse reincorporada à polícia teve início.

Em novembro do ano o pedido de readmissão foi negado pela Justiça. A defesa dela recorreu da decisão. “Comecei a me afirmar como Jane e aí o assédio foi ficando pior. Ele me impedia de descansar, me chamava de viadinho, eu tinha medo”, contou Jane, ao jornal Correio.

Ano passado, 13 pessoas trans ou travestis foram mortas na Bahia, o segundo estado mais violento no ranking nacional, atrás de São Paulo, com 25 assassinados. No Brasil, foram 150 mortes. Fonte Bnews

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.