Acabou a amizade de João e Geraldo

O processo já estava marcado para iniciar, segundo fontes na Prefeitura. O atual prefeito João Campos (PSB) iniciou um processo de “descolamento” da gestão do ex-prefeito Geraldo Júlio (PSB), com intuito de marcar a diferença e atestar que a gestão do atual prefeito “não tem malfeitos ou desperdícios”, segundo fonte no nono andar da Prefeitura. Os próximos passos serão exonerar todos os indicados do ex-prefeito que ainda ocupam cargo de confiança no Recife, segundo a fonte.

A “desculpa” será o prazo de desincompatibilização concorrer nas eleições de 2022. Será uma mini-reforma no secretariado municipal, na qual serão “caçados” todos os afilhados de Geraldo que não renegarem o padrinho, segundo informa a fonte. O “descolamento” começou a partir do momento que Geraldo foi “descartado” como candidato em 2022 pelo governador Paulo Câmara (PSB).

O “descolamento” já começou até no Diário Oficial do Recife. O veículo público já publicou uma matéria criticando o projeto de Geraldo da Ponte Monteiro-Iputinga. A matéria oficial aponta um desperdício de R$ 10 milhões no projeto de Geraldo. O Diário Oficial diz que o novo projeto da Ponte, elaborado por João Campos, alcançou uma economia de 20% em relação ao projeto anterior de Geraldo Júlio. O próprio João Campos deu aspas criticando o projeto anterior de Geraldo. “Esse novo projeto da ponte está orçado em R$ 38 milhões, o que representa uma economia de 20% em relação ao valor do projeto anterior”, explicou o gestor municipal. Por Magno Martins.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *