Oposição mantém a harmonia para derrotar o PSB em Pernambuco

Coluna do Diego Lagedo:

A oposição de Pernambuco está caminhando para ter duas candidaturas ao Governo de Pernambuco em 2022. De um lado, há o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (DEM), que já se lançou pré-candidato ao Governo de Pernambuco quando realizou um grande ato de filiação no Recife. Do outro lado, há o grupo liderado por Anderson Ferreira (PL) e Raquel Lyra (PSDB), que ainda não definiu quem será o cabeça da chapa mas irá lançar um postulante a governador.

Esses dois grupos poderiam estar em rota de colisão e brigando pela hegemonia na oposição, mas a experiência na eleição para Prefeito do Recife em 2020 mostrou que essa estratégia não é benéfica para o bloco como um todo. Sendo assim, Anderson, Miguel e Raquel têm mantido uma relação de cordialidade e até de diálogo, enquanto seus principais aliados também procuram não causar desentendimentos internos ou fazer provocações.

A eleição do próximo ano pode ser um ponto de virada no estado de Pernambuco, tendo em vista que o PSB quer lançar o nome de quadro relativamente desconhecido e pouco avaliado nas pesquisas, que é Danilo Cabral. A oposição conta com muitos dos maiores prefeitos de Pernambuco e uma grande quantidade de partidos, pode-se dizer que está com a faca e o queijo na mão para chegar ao Palácio do Campo das Princesas.


Eleições: Um dos quadros que mais tem defendido a unidade da oposição é Mendonça Filho (DEM), que já liderou o bloco mas, agora, será candidato a deputado federal. Mendonça tem um boa relação com Anderson e Raquel e defendeu a harmonia, mesmo que esteja apoiando Miguel Coelho para a eleição do próximo ano. PE em Pauta.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.