Codevasf, o filé mignon do Centrão

Bolsonaro procura manter sua base de apoio e controlar o Congresso usando alguns atrativos estatais. E a Codevasf  é uma das mais cobiçadas pelo Centrão, que vê na empresa federal uma excelente oportunidade para investir os recursos das suas emendas parlamentares.

Bolsonaro  aumentou a área de atuação da Codevasf fazendo com que a empresa  chegasse até o Amapá, que fica no extremo norte do Brasil para atender ao senador Davi Alcolumbre (DEM), ao Rio Grande do Norte, base de atuação do ministro  Rogério Simonetti Marinho e chegou à Paraíba onde atua o líder do  PL na Câmara Federal Wellington Roberto.  Para fechar a cereja do bolo, Bolsonaro  turbinou o orçamento da Codevasf para  R$ 2,73 bilhões em 2021, composto principalmente por emendas.

Segundo informações publicadas pelo jornal Estado de São Paulo, a empresa estatal se tornou a preferida da classe política de Brasília pela facilidade em agilizar a entrega de máquinas e equipamentos  aos municípios, executar obras e possuir regras mais flexíveis na contratação de serviços  do que o próprio Ministério do Desenvolvimento Regional, em que a Codevasf está subordinada.  O MDR é comandado por Rogério Simonetti Marinho.

Alguns políticos da oposição questionam as manobras do governo que dá margens a corrupção e desvio de verbas publicas.

Em um futuro bem próximo será possível saber o que aconteceu, logo que for aberta a CAIXA PRETA DA CODEVASF!

Fonte: Jornal Estado de São Paulo/Metrópoles

Tá Na Roda

Compartilhe.
Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *