Tiro sai pela culatra e CPI para atingir Bolsonaro também vai alcançar governadores

Coluna do Diego Lagedo: A CPI da Covid-19 no Senado foi planejada para atingir o presidente Jair Bolsonaro e gerar fatos políticos contra o Governo.

Por ser extremamente inoportuna, tendo em vista sua finalidade implícita e o fato de a pandemia ainda não ter terminado, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), relutou em aceitar o pedido de abertura da CPI.

Porém, em uma decisão monocrática em caráter liminar, o ministro Barroso determinou que o presidente do Senado desse prosseguimento à instalação da Comissão, o que gerou grande descontentamento no Senado, pois foi visto como uma intervenção no Legislativo.

Apesar disso, e como já havia sido previsto por essa coluna, a CPI foi modificada no Senado para também investigar o gasto dos recursos federais por parte dos estados e municípios durante a pandemia.

Essa expansão do objeto da CPI embaralha totalmente o jogo, tendo em vista que, ao contrário do Governo Federal, muitos governadores e prefeitos fizeram mau uso dos recursos e alguns já estão sendo alvos de inquérito de órgãos como a Polícia Federal e Ministério Público Federal, como é o caso do ex-prefeito do Recife e pré-candidato a governador de Pernambuco, Geraldo Julio (PSB).

O tiro saiu pela culatra.


FBC: O líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), defendeu a ampliação da CPI da Covid para alcançar também os governos estaduais e as prefeituras: “é fundamental que a Comissão a ser instalada por decisão do Supremo Tribunal Federal possa investigar os atos praticados por agentes políticos e administrativos não apenas da União, mas também dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios naquilo que diz respeito à gestão de recursos públicos de origem federal”.

Fonte – Pernambuco em pauta

 

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *