Lideres evangélicos de Petrolina cobram por projeto que coloca as igrejas e atividades religiosas como essenciais e está parado na comissão de justiça e redação da câmara de vereadores

Texto Jean Brito

A união de Pastores Evangélicos de Petrolina (UPEPE), no Sertão de Pernambuco, está na bronca com dois vereadores da Terra dos Impossíveis, devido a não entrada do Projeto de Lei (037/2021) que estabelece novas regras para o funcionamento de templos religiosos de qualquer culto em todo o município de Petrolina, durante a Pandemia do Coronavírus.  Liderado pelo vereador Ruy Wanderley (PSC), O PL recomenda ainda as medidas adotadas pelas autoridades sanitárias em cada igreja como prevenção à doença.

O referido Projeto de Lei que era para ser apreciado na Casa Legislativa nesta terça (30 de março) que coloca as igrejas e atividades religiosas como essenciais na pandemia, por falta das assinaturas do Parecer dos vereadores que integram a Comissão de Justiça e Redação na Câmara, Zenildo do Alto do Cocar e Wenderson Batista, o referido PL não entrará na pauta da sessão remota de amanhã.

Os parlamentares da bancada evangélica acreditam que o Projeto de Lei (037/2021) apresentado ao Legislativo Municipal, pode proteger as instituições religiosas do ostracismo.

De acordo com a Bancada Evangélica, ‘a conexão com Deus salva vidas, a fé continua sendo o maior remédio de todos os males’.

A UPEPE – instituição que representa pastores e igrejas na cidade de Petrolina, espera um posicionamento dos vereadores citados. Até o final desta matéria, a assessoria de Zenildo do Alto do cocar e Wenderson Batista, não enviaram respostas.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *