Brasil gera 260 mil empregos formais em janeiro; melhor resultado para o mês em 30 anos

O Brasil gerou 260.353 postos de trabalho formais em janeiro, de acordo com informações do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged). O saldo foi resultado de 1.527.083 admissões e 1.266.730 desligamentos. O resultado é o melhor para o mês desde o início da série histórica, em 1992.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que tudo indica a retomada da economia brasileira. “Há sinais, seja no índice de atividade do Banco Central, seja na criação de empregos do Caged, seja na arrecadação da Receita Federal, há sinais por toda parte que a economia brasileira está de novo decolando.”

Guedes destacou ainda a importância da criação do Programa Emergencial de Preservação da Renda e do Emprego (BEm) no ano passado, que permitiu a preservação de 11 milhões de empregos com mais de 20 milhões de contratos assinados.

BEm

O programa foi criado em abril para preservar empregos que ficaram ameaçados pelo impacto do novo coronavírus na economia. Para isso, autoriza empresas, quando houver acordo entre empregador e empregado, a reduzirem proporcionalmente a jornada de trabalho e salário ou suspenderem temporariamente o contrato de trabalho.

De acordo com o ministro, o governo estuda a renovação do programa. “Vamos renovar o BEm exatamente para garantir a manutenção de empregos. Estamos estudando um seguro-emprego que é, ao invés de esperar alguém ser demitido e pagar 1.100 reais após a pessoa ser demitida e ter uma garantia de cinco meses, nós queremos a garantia de 11 meses e onde nós pagamos 500 reais para pessoa continuar empregada ao invés de pagar para a pessoa ter sido demitida”, explicou.

Atividades Econômicas
Os dados do Caged revelam que houve um saldo positivo na geração de empregos nos cinco grupamentos de atividades econômicas:

– Indústria geral: +90.431 postos de trabalho, sendo que a maior parte está concentrada na Indústria de Transformação com a criação de 87.162 postos;

– Serviço: +83.686 postos, distribuídos principalmente nas atividades de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (+55.896 postos);

– Construção: +43.498 postos de trabalho;

– Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura: +32.986 postos postos de trabalho;

– Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas: +9.848 postos de trabalho.

Localização

Em janeiro de 2021, o Caged registrou ainda aumento nas cinco regiões, com destaque para o Sudeste, com um acréscimo de 105.747 empregos com carteira assinada, seguido pelo Sul (+83.587); Centro-Oeste (+35.741 postos); Nordeste (+28.420) e Norte (+6.937 postos).

Das 27 unidades federativas, 24 tiveram saldo positivo para geração de emprego. As maiores foram: São Paulo (+75.203), Santa Catarina (+32.077) e Rio Grande do Sul (+27.168 postos). Já os estados com menor saldo foram: Alagoas (-198), Paraíba (-174) e Rio de Janeiro (-44).

Remuneração

O salário médio de admissão em janeiro de 2021 foi de R$ 1.760,14. Comparado ao mês anterior, houve aumento real de R$ 20,06, uma variação de 1,15%. Fonte conexão politica.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *